segunda-feira, 20 de outubro de 2014

- ÀS «CRIANÇAS DAS ESTRELAS»: O MEU MUITO OBRIGADO!



«Só é possível ensinar as crianças a amar, amando-as.»
Johann Goethe




Ontem, dia 18 de outubro de 2014, levei a efeito, pela primeira vez, um Curso de Iniciação ao Reiki para crianças entre os 7 e os 11 anos de idade.

Este não foi, apenas, um curso…
Foi um reencontro.
Foi VIDA em todo o seu esplendor!

Hoje, nesta manhã de domingo registo aqui, para que perdure, o sentimento da minha alma, colhido dessa bênção, dessa dádiva maravilhosa de poder ver e sentir o mundo e a vida, através dos olhos das crianças:

Sabem, aquela sensação de quando nos sentimos extraordinariamente felizes e em harmonia com a vida e com tudo o que está ao nosso redor?

Quando sentimos que habitamos aquele “ponto” de consciência que parece reproduzir-se fisicamente no nosso coração, num inefável bater de asas de borboletas?

Conhecem, certamente, aquela sensação de êxtase que parece elevar-nos para mais perto do céu, mas que, ao mesmo tempo, nos deixa surpreendentemente conscientes, presentes e religados a tudo quanto existe?

Assim, como se, por um qualquer “passe de mágica”, nos tivesse sido permitido tocar o céu com o coração, para além de todos os véus?

É que, ontem, à tarde, abri as portas do Céu,
E tive um encontro absolutamente inolvidável com a energia das estrelas...

Pequenos anjos vieram até mim para me visitar…
Lindos, serenos, de sorrisos doces e cândidos…
Ah! E se pudessem ver os seus olhos…
Transbordando de luz,
Mesclados com o brilho das estrelas…
Enormes, profundos…
Como se neles coubessem todos os mistérios da vida humana,
E os pequenos anjos, sentados, ou em pé, observavam,
Curiosos,
Insaciáveis,
Infatigáveis,
Registando cada imagem,
Absorvendo a energia de cada palavra,
De cada gesto,
De cada expressão facial,

Ontem, a vida manifestou-se, perante mim,
Em toda a sua simplicidade e pureza,
Como se o céu tivesse descido à Terra,
Ou, cada um de nós existisse, agora, numa dimensão supra física,

Ontem, tive um dia extraordinário e “encantado”…
É que, é tão maravilhosamente simples ver o mundo, através da alma e dos olhos das crianças…

Ontem, passei a tarde com anjos,
Com estrelas multicolores,
Brincadeiras de luz e de cor,
Desenhos, alegria, partilha, abraços,
E muito, muito AMOR.

De mãos postas, como que em oração,
Meditámos juntos,
Subimos ao nosso quarto do sótão,
Esse quarto encantado,
Onde mais ninguém pode entrar…
E ali, construímos um templo de meditação,
Para estarmos connosco próprios,

Ouvimos histórias maravilhosas,
Brincámos e sentimos a energia ki do nosso corpo,
E seguindo o pensamento,
Redescobrimos as nossas mãos,
E nelas, esses dez dedos anõezinhos,
Bem amigos uns dos outros,
Que sempre se unem para cuidar de nós…e dos que necessitarem da nossa ajuda.

Depois, abrindo as asas,
de mãos dadas,
E sorrindo felizes,
Esvoaçámos até esse lugar do Universo,
Lá, onde nasce o SOL e a LUZ,

Percorremos as cores do arco-íris,
Subindo e descendo, repetidamente,
Descobrindo os mais magníficos tesouros de luz e de cor,


E, quando, numa pausa, nos entreolhámos uns, aos outros,
Sorrimos…
E sorrimos, porque, percebemos a final…
que somos moldados com as cores e a energia do arco íris
Somos filhos das estrelas,
Todos iguais, todos irmãos,
Singela poeira cósmica universal…


Falámos dos chacras, essas rodas de luz que vibram em cada um de nós,
E de como, através deles, nos ligamos à energia universal (REI),
Tocámos-lhes, com as nossas mãos,
Sentimo-los,
Aprendemos a alimentá-los e a nutri-los com os alimentos das suas cores,
Aprendemos a mimá-los e a harmonizá-los,


E aprendemos, também, que se tratarmos deles todos os dias, iluminamos o nosso corpo, mente e emoções.
E quando nos sentirmos bem no nosso coração,
Somos capazes de ajudar outras pessoas a iluminarem-se,
Para que, todos juntos, reaprendamos a ser felizes
E a partilhar essa alegria,
De luz e de cor.

E como foi maravilhoso, ver os anjos, cuidando, com as suas mãos, uns dos outros…
As crianças das estrelas mostrando o seu saber, o seu entusiasmo e vigor…

Não menos importante, foi recordar que o medo só existe onde não existe o Amor,
E que não devemos preocupar-nos, nem zangarmo-nos,
Porque cravamos pregos no nosso coração,
E a nossa aura muda de cor,

Queremos ser bondosos, honestos gratos à VIDA!


E finalmente, percebemos todos,
Que a VIDA existe em nós em todo o seu esplendor
E VESTE  AS CORES DO ARCO-ÍRIS…

Se as quisermos ver…

Queridos Anjos, mui adoradas «crianças das estrelas», como vos disse:
- Vocês são TÃO especiais!
- Vão!
- Corram!
-  E pela vossa vida fora, distribuam AMOR e HARMONIA, na forma de um sorriso e de um abraço, que todos gostarão de receber!

 ***

« Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles e disse:
- Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.
Portanto, quem se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.
E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta, a mim me recebe.»
Mateus 18:2-5

 ***

Venda do Pinheiro, 19 de outubro de 2014
Maria João Vitorino











Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.        

2 comentários:

A. Almeida disse...

Encontrar alguém com esta profundidade de pensamento nos nossos dias faz nos por momentos voltar a acreditar no sonho impossível perdido no tempo, bem haja!

Vitorino Maria João disse...

Bom dia Armando,

Permita-me agradecer-lhe pelas suas palavras tão gentis, que demonstram, igualmente a sua sensibilidade.

Talvez, não haja, na expressão do meu pensamento qualquer profundidade...

Talvez seja, digo eu, um estado de consciência, um estado de alma qualquer, que se impôs com tal intensidade que tive a necessidade de o expressar, por escrito...
E fico grata que tenha ressoado em si. Tão grata.

Afinal, para além de todos os «rótulos" e "etiquetas" que colocamos em tudo o que vemos ou sentimos, o que sabemos nós acerca de nós?

Não sabemos quem somos...
Nem quem é, ou o que é este "eu" que nos representa...
Sabemos que temos uma forma corpórea, pensamento...
Mas, nem sabemos o que é o pensamento...ou a consciência...

Um abraço Armando. Bem Haja!





Seguidores